Archive for 2010/09/09

Tango con alma


Photobucket

Im Augenblick

benimmt sich meine Seele

wie ein Bandoneon.

 

Mal macht sie sich auf

bis zum Zerreißen

möchte die ganze Welt

einatmen.

 

Dann zieht sie sich

in sich zusammen

bis nur noch Platz ist

für ein Sehnen

nach dir.

 

Es lässt sich nicht leugnen:

wehmütig ist die Musik

die so in meinem Zwischenraum

entsteht.

 

In diesen Momenten

bleibt mir nichts

als der Gedanke

dass Traurigkeit

aus meinem Grund

in Wahrheit

ein Geschenk ist.

Jörn Pfennig


Nao basta abrir a janela


Photobucket

"Não basta abrir a janela
Para ver os campos e o rio.
Não é bastante não ser cego
Para ver as árvores e as flores.
É preciso também não ter filosofia nenhuma.
Com filosofia não há árvores: há idéias apenas.
Há só cada um de nós, como uma cave.
Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora;
E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse,
Que nunca é o que se vê quando se abre a janela."
                 

***

Nesta vida, em que sou meu sono,
Não sou meu dono,
Quem sou é quem me ignoro e vive
Através desta névoa que sou eu
Todas as vidas que eu outrora tive,
Numa só vida.
Mar sou; baixo marulho ao alto rujo,
Mas minha cor vem do meu alto céu,
E só me encontro quando de mim fujo.

Quem quando eu era infante me guiava
Senão a vera alma que em mim estava?
Atada pelos braços corporais,
Não podia ser mais.
Mas, certo, um gesto, olhar ou esquecimento
Também, aos olhos de quem bem olhasse
A Presença Real sob disfarce
Da minha alma presente sem intento.

Pousa um momento,
Um só momento em mim,
Não só o olhar, também o pensamento.
Que a vida tenha fim
Nesse momento!

No olhar a alma também
Olhando-me, e eu a ver
Tudo quanto de ti teu olhar tem.
A ver até esquecer
Que tu és tu também.

Só tua alma sem tu
Só o teu pensamento
E eu onde, alma sem eu. Tudo o que sou
Ficou com o momento
E o momento parou.

***

Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm cor nem movimento,
Assim como as flores não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o movimento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A borboleta é apenas borboleta
E a flor é apenas flor.

(poems by Fernando Pessoa)

Photobucket

thank you Jussara

for this wonderful poems

and you beautiful picture